NÚCLEO CINEMATOGRÁFICO DE DANÇA

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • newsletter

O 16 mulheres e ½ - grupo de estudos em dança e performance - abre convocatória para residência artística virtual:

 PLATAFORMA MIXTAPE #2

|o o|

PLATAFORMA MIXTAPE #2 é um tempo e um espaço de encontro e interlocução em bando para a partilha de experiências sensíveis, aprofundamento e imersão criativa, compartilhamento e mixagem de pesquisas artísticas individuais e coletivas. Convidamos artistas e pequenos coletivos (que tenham o corpo como disparador de investigações) a integrar este campo de experiências e que estejam abertos para mixar e desdobrar seus processos de investigação e criação, reconfigurando-os em outros possíveis agrupamentos.

 

O processo da Plataforma se dá por interseção, em modo de copresença. Espaço para uma aventura sensível que atrita diferentes interesses artísticos, disparando várias problematizações de uma perspectiva ética, estética e política. A Plataforma é ainda o desejo de estar junto, apesar da distância: para sair de si e encontrar o outro, produzir diferenças, saberes, modos de estar, para desemaranhar nós e potencializar vidas.

play. para somar, descobrir, insistir. repetir. rewind. pause. 

para questionar, duvidar, mudar de ideia. voltar para o início. 

rewind. rec. para processar, experimentar, lado a lado, lado a, lado b. rewind. stop.

para dividir, revisar, reformular, começar de novo. rewind. 

forward. para "mixturar", desviar, desorganizar, (des)produzir.

play. para ouvir de novo. em loop.

Aproveitando este momento da mediação compulsória das telas-janelas digitais entre nós, em que tudo corre pelos olhos em um instante - uma imagem, um like - te provocamos a pensar e criar através de um processo de ‘interpenetração’: onde algo ou alguém se move atravessando e sendo atravessado por outro, produzindo um fluxo vertiginoso no qual os universos singulares podem se integrar não em uma unidade, mas em uma multiplicidade difusa e aberta. 

Fazer uma mixtape exige dedicação e tempo. É sobre procurar e encontrar a música exata para vir em seguida. É preciso um planejamento cuidadoso. Selecionar toda uma pilha de arquivos antes de começar a gravação, pois para além de sua totalidade, a mixtape deve considerar seu fluxo e dinâmica, ainda que possa haver, entre uma música e outra, espaços em branco, ruídos desnecessários, vozes sobrepostas, um refrão que se repete. 

 

​Além disso, a experiência de fazer uma mixtape se assemelha também à experiência de recebê-la e escutá-la. Ela presume quase a mesma duração da experiência temporal para o criador e o receptor, um espaço-tempo íntimo e compartilhado. Seja qual for o desejo que dê origem à uma mixtape, há um impulso básico: a vontade de compartilhá-la com outras pessoas. Compartilhamento que aqui se constitui de prática, atitude, pensamento crítico, conversa e movimento como ignições de experimentações estéticas e performances possíveis em meios ciborgues. Um tempo-espaço para partilhar o sensível, "mixturar" códigos e lógicas, produzir desvios, subjetividades e pensamentos.

Neste novo processo da plataforma uma sequência de músicas será apenas o primeiro disparo de investigação, meio para se fabricar propostas que possam compor com o outro. Um impulso que trafega do individual para o coletivo, do privado para o público, do passado para um futuro possível, no compartilhamento de experiências afetivas comuns. É a primeira etapa de novas conexões. Ela não se encerra em uma temática. A força afetiva da música e o impulso libertador do desejo do corpo se intensificam e se reforçam mutuamente. Fazer uma mixtape é deliberadamente um ato de paixão.

 

Os estudos e investigações da plataforma se apoiarão em três eixos:

a banda corporal

podemos nos imaginar como uma mixtape ou um "corpo-fita". Um corpo que ressoa diferentes tempos e lugares e que se compõe tanto de matérias quanto de afetos, de nascimentos e mortes. Movimentos que ficam impressos no músculo como o óxido de ferro em uma fita magnética e ainda assim podem ser provisórios, em vias de desfazer-se. Sinais elétricos oscilantes. Pensamos o material corporal ou "corpo-fita" como aquilo que você está investigando no momento ou que te interessa retomar, revisar ou aprofundar. Que registros ainda pulsam? O que provoca transformação agora? Pode ser uma qualidade de corpo, uma pequena cena ou uma coleção de movimentos. Influências performativas. 

 

a banda visual

se nossa conexão agora não pode ser o encontro físico, o corpo a corpo, então como podemos nos deixar provocar também por essa linguagem visual da câmera? Quais soluções e desvios ela pode nos provocar quando esbarramos em certos limites do corpo? Influências cinematográficas. 

 

a banda sonora

para além de uma coleção de músicas, que outras sonoridades afetam esse processo? Uma voz que lê um texto, o que ouvimos pela janela, no hay banda, silêncio? Som, silêncio e ruído. Como esses três elementos estão presentes no seu modo de pensar e criar? Influências sonoras. 

A Plataforma será coordenada por Fabiane Carneiro, Mariana Sucupira e Maristela Estrela, que também organizarão os agrupamentos durante o processo na medida em que as afinidades estéticas, temáticas e/ou processuais forem surgindo. Com ênfase no processo, os grupos continuam a escutar uns aos outros, mantendo conversas e reflexões em torno das indagações emergentes. Para além das questões conceituais, tanto a coordenação quanto os participantes, compartilharão instruções e dispositivos de investigação e criação, bem como práticas corporais próprias. 

 

No final da Plataforma os grupos decidem se querem compartilhar seu processo com "ouvintes" de fora do coletivo, como um modo de expandir a experiência e a rede de afetos. 

Como uma mixtape, cada processo poderá ser "ouvido" de novo e de novo até se desgastar, se dissolver. Ou ainda, ser apagado por completo. Eject. 

Quando:

De 01 de Fevereiro a 31 de Março de 2021

Todas as segundas e quartas das 19h às 22h

 

Onde:

Plataforma Zoom

 

Para quem:

Serão selecionados até 24 artistas da dança, performance, teatro, circo, artistas visuais e da música (que tenham experiência com trabalhos corporais e práticas performativas) e/ou coletivos formados por até quatro pessoas que estejam interessadas no entrecruzamento de experiências artísticas e convivência coletiva virtual neste contexto de confinamento. 

 

Quanto:

A Plataforma oferecerá uma ajuda de custo de R$ 300,00 por mês para cada um dos participantes.

 

Pré-requisitos:

Ter no mínimo 18 anos

Morar na cidade de São Paulo - SP

Não estar financiado por outro projeto da Lei Aldir Blanc na cidade de São Paulo

Ter um computador ou celular com acesso à internet via wi-fi

Disponibilidade para participar de todos os encontros

 

Importante:

Ao menos 50% das vagas serão destinadas a artistas moradores dos seguintes bairros da cidade de São Paulo (desde que preencham todos os pré-requisitos acima): Anhanguera, Brasilândia, Bom Retiro, Brás, Cachoeirinha, Campo Limpo, Cangaíba, Capão Redondo, Cidade Ademar, Cidade Dutra, Cidade Tiradentes, Ermelino Matarazzo, Grajaú, Guaianases, Iguatemi, Itaim Paulista, Itaquera, Jaçanã, Jaraguá, Jardim Ângela, Jardim Helena, Jardim São Luís, José Bonifácio, Lajeado, Marsilac, Parelheiros, Pari, Parque do Carmo, Pedreira, Perus, São Mateus, São Miguel, São Rafael, Sapopemba, Sé, Tremembé, Vila Curuçá e Vila Jacuí. 

 

Esta Plataforma é realizada através do apoio da Lei Aldir Blanc na Cidade de São Paulo, da Secretaria Municipal de Cultura/Prefeitura Municipal de São Paulo e do Governo Federal

INSCRIÇÕES ATÉ DIA 22 DE JANEIRO.

PARA SE INSCREVER

A inscrição para participar da Plataforma poderá ser realizada como artista individual ou como coletivo e deverá ser feita em duas etapas.

Na primeira etapa você nos envia uma mixtape. Para isso você precisará usar a plataforma Spotify (www.spotify.com). Considere essa ação mais do que simplesmente montar uma playlist. Considere a ordem das músicas, as transições entre elas, os efeitos causados pela justaposição, ritmos e frequências diferentes,  enfim, o "arco narrativo" de sua mixtape.

 

Sua mixtape deve ser composta por músicas que se relacionam com sua pesquisa corporal-artística, de modo a seguir disparando seu desejo de investigação e criação nesta Plataforma. Uma vertigem sonora que se propaga afetuosamente, calorosamente, ruidosamente e manifesta-se através do movimento (ou a falta dele). As músicas não precisam seguir uma "temática", nem mesmo ter texto.

 

As únicas regras são:

* Ter no máximo 30 minutos 

* Dar um título para sua mixtape

 

O link da sua mixtape deverá ser enviado no formulário abaixo:

INSCRIÇÃO

INDIVIDUAL

INSCRIÇÃO

COLETIVO

Dúvidas? Escreva para 16mulheresemeia@cinedanca.com