Buscar

O QUE REALMENTE ESTAMOS DANÇANDO AGORA ?


Respirar junto, ouvir e deixar-se atravessar pelo outro. Rever, revirar-se em vontade e desejo com o outro, em tabuleiro de jogo, pra desapegar-se de si para aproximar-se do outro e quem sabe permitir-se outro.

Gosto de pensar que a prática nunca se ajusta plenamente à idéia de projeto, que é uma ficção, mas escapa a ele, deslocando e transformando-o. Aqui o acaso será sempre o protagonista que redimensiona o processo.


Módulo I- de 29 de Janeiro a 12 Março

PERGUNTE AO SEU CORPO - ENFATIZE REPETIÇÕES

Daremos um passo atrás. Porque é necessário rever ou experienciar a si próprio como se fosse outro. Considerar-se a partir de outras perspectivas, re-imaginar-se.

O desafio será elaborar "samples" de movimento como breves fragmentos, extrato de memória corporal preservada que pode ser resgatada, reproduzida, copiada, parodiada, contestada. Pontos de dilatação ou loops que dêem visibilidade ao que insiste em durar nos corpos seja em treinamentos, formação e/ou modos de produção. Samplear a si próprio. Compilar "samples" pessoais e coletivos de movimento.

Serão propostas nesse módulo algumas práticas envolvendo diferentes maneiras de acessar e tocar os parceiros para estimular, preparar e trazer para o jogo os "samples" criados.


Módulo II- de 19 de Março a 23 Abril

VÁ PARA FORA E OUÇA DO LADO DE FORA

Por meio de derivas encontraremos um modo (seja uma ação, objeto ou obstáculo) para “abalar” os samples criados. Escolher um disparador de instabilidade. Experimentos sobre resistência, densidade, acelerar e desacelerar, acumular, esvaziar.

A atenção fragmentada pela paisagem. É possível manter a atenção plena quando nos deslocamos em deriva? Existe potência no material que se inscreve nesse corpo em trânsito ? Quais potências se revelam neste contato com a cidade?

Desenhos surgem da relação entre aquilo que se vê e como se percebe. Um fluxo intenso de planos, acúmulos, repetições, sobreposições, cruzamento de linhas. O olhar recorta suas escolhas e transforma o objeto de estudo em linguagem corporal e visual. Uma co-autoria também com o ambiente.


Módulo III- de 30 de Abril a 04 de Junho

COMO VOCÊ FAZ ISTO? COMO ALGUÉM PODERIA FAZER ISTO?

Como preservar a plasticidade do material criado? Interessa a relação destes materiais na relação com o outro, através do outro? O que pode ser preservado, atualizado, sintetizado ou borrado por meio da experiência de tradução de um corpo a outro? Interessa a relação destes materiais com espaços específicos?

Estabelecer um jogo com o material de cada um, através da sobreposição e articulação entre as imagens existentes, os registros e os recortes, propondo relações de deslocamento.

Cada integrante desenvolverá em colaboração com 1, 2 ou mais pessoas uma ação performática a partir dos materiais levantados nos Módulos I e II.

Uma construção por meio da supressão e/ou acúmulo de elementos.


A idéia será olhar para as propostas não apenas a partir das especificidades que as compõem, mas também para o todo, observando uma trajetória dos encontros.

Ações que transformam a paisagem, paisagens que transformam as ações. Uma metamorfose que deixa vestígios pela cidade.

3 visualizações